segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Machu Picchu, “a cidade perdida dos Incas” !!!

"No coração da Amazônia peruana, encontra-se a cidade milenar dos antigos Incas em ruínas. Descubra esse mistério!".



Machu Picchu (em quíchua Machu Pikchu, "velha montanha"), também chamada "cidade perdida dos Incas", é uma cidade pré-colombiana, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru. Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti. A cidade hoje em ruínas, é provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca.
Dizem que luzes estranhas costumam descer entre ruínas, seja de dia ou noite. Outros apostam que a cidade é "espiritualmente" cheia de energias.
fato é que em sua arquitetura, existem áreas, hoje em dia, que foram reconstruídas. São facilmente reconhecidas por conta do encaixe entre as pedras. 

A construção original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas. Consta de duas grandes áreas: a agrícola formada principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a outra urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e mausoléus reais.
Redescobrimento- Foi o professor norte-americano Hiram Bingham quem, à frente de uma expedição da Universidade de Yale, redescobriu e apresentou ao mundo Machu Picchu em 24 de julho de 1911. Este "Indiana Jones da floresta", criou o nome de "a Cidade Perdida dos Incas" através de seu primeiro livro, Lost City of the Incas, que apesar do nome, revelava um pouco dos muitos mistérios verdadeiros da incrível cidade. Porém, naquela época, a meta de Bingham era outra: encontrar a legendária capital dos descendentes dos Incas, Vilcabamba, tida como baluarte da resistência contra os invasores espanhóis, entre 1536 e 1572. Ao penetrar pelo cânion do Urubamba, Bingham, no desolado sítio de Mandorbamba, recebeu do camponês Melchor Arteaga o relato que no alto de cerro Machu Picchu existiam abundantes ruínas. Alcançá-las significava subir por uma empinada ladeira coberta de vegetação. Quando Bingham chegou à cidade pela primeira vez, obviamente encontrou a cidade tomada por vegetação nativa e árvore. E também era infestada de cobras venenosas.

Depois desta expedição, Bingham voltou ao lugar em 1912 e, nos anos seguintes (1914 e 1915), diversos exploradores levantaram mapas e exploraram detalhadamente o local e os arredores.
Suas escavações, feitas em diversos lugares de Machu Picchu, permitiram-lhe reunir 555 vasos, aproximadamente 220 objetos de bronze, cobre, prata e de pedra, entre outros materiais. A cerâmica mostra expressões da arte inca e o mesmo deve dizer-se das peças de metal: braceletes, brincos e prendedores decorados, além de facas e machados. Ainda que não tenham sido encontrados objetos de ouro, o material identificado por Bingham era suficiente para inferir que Machu Picchu remonta aos tempos de esplendor inca, algo que já evidenciava seu estilo arquitetônico.

Mistérios- Um corredor leva ao portão principal da cidade lendária de Machu Picchu, descoberta no início do século passado. A cidade seria, segundo pesquisadores, uma das sedes do Império Inca que desapareceu no período da colonização espanhola. Pouco se sabe sobre o povo que construiu as edificações de pedras a 2.500 metros de altitude. Nas encostas era cultivado o milho e outros cereais. A água vinha de fontes próximas às montanhas.
Bingham reconheceu também outros importantes grupos arqueológicos nas imediações: Sayacmarca, Phuyupatamarca, a fortaleza de Vitcos e importantes trechos de caminhos (Caminho Inca), todos eles interessantes exemplos da arquitetura desse império. Tanto os restos encontrados como as evidências arquitetônicas levam os investigadores a crer que a cidade de Machu Picchu terminou de ser construída entre fim do século XV e início do século XVI.
Cidade Sagrada rodeada de mistério, porque até agora os arqueólogos não pôodem descifrar a história e a função desta cidade pedregosa de quase um quilômetro de extensão, construida pelo Inca em uma área geográfica mágica onde o andino e o amazonico convergem. Talvez o mistério nunca será completamente revelado; até agora só hipótese e conjeturas existem.
Uns acreditam que a cidade, hoje em ruínas, era um monastério onde as meninas virgens, eram formadas (acllas) isso serviria o Inca e o Willac Umu (o padre Supremo). Poderia ter existido sacrifício humano, por conta dos achados de 135 corpos, onde 109 pertenceram a mulheres. A perfeição surpreendente e beleza das paredes de Machu Picchu, construída unindo pedra sobre pedra, sem cimento nem outra substância para fixar.
Lendas- os nativos contam que um pássaro chamado Kak`aqllu, soube a fórmula para amolecer as pedras e passou aos nativos. Também é dito que uma planta mágica dissolveu as pedras da região e assim puderam ser compactadas. Mistérios que nós,humanos, estamos longe de desvendar.



Turismo- Mas além de mistérios e mitos, o verdadeiro charme de Machu Picchu, cidade sagrada dos Incas, declarada Patrimônio Cultural da Humanidade, está nas praças, nos aquedutos e torres de vigilância, nos observatórios e no relógio solar, evidências da sabedoria e técnica dos construtores andinos.
Fotos:  Divulgação



Nenhum comentário:

Postar um comentário