sábado, 2 de janeiro de 2016

Ano novo, vida nova!!!

"Histórias de superação mostram a importância de políticas públicas"


O ano de 2016, que se inicia, teve um gosto diferente para o metalúrgico aposentado Sérvulo Belo, de 56 anos. No início de 2015 ele foi diagnosticado com câncer de próstata e desde então direcionou seus esforços para uma única missão: se curar. “Sou acostumado a fazer exames preventivos periodicamente. Foi em um deles que descobri a doença, felizmente ainda em estágio inicial”, relembra.

Do diagnóstico à alta do tratamento passaram-se seis meses. Foi próximo do Natal, mais precisamente no dia 23 de dezembro, que Sérvulo entrou na sala de cirurgia do Hospital Ofir Loyola, em Belém, e ganhou uma nova oportunidade. “No início foi um choque muito grande. Pra muita gente, câncer está associado à morte. Mas pra mim não, eu penso diferente. Assim que soube, fui atrás do que precisava para vencer essa doença”, conta.
Ao lado da esposa e dos três filhos, Sérvulo vê no ano novo uma oportunidade de fazer tudo diferente. Segundo ele, o câncer o fez renascer e para 2016 as metas já foram estabelecidas: fazer atividade física, mudar a alimentação e continuar o tratamento até ter a certeza de que o câncer desapareceu. 
Quem também colocou a saúde no topo da lista dos pedidos para 2016 foi a pequena Ana Luiza Monte Palma Monteiro, de 11 anos. No ano passado, ela conseguiu fazer o tão esperado transplante de medula óssea para tratar a anemia falciforme de que é portadora desde bebê.

A doença foi descoberta quando ela tinha apenas 11 meses de vida. Elizangela Monteiro, mãe da menina, conta que aos seis meses Ana Luiza passou a apresentar sintomas como palidez e inchaço pelo corpo. Preocupada, procurou os médicos que a diagnosticaram com o problema. Desde então, começou a luta da família. Moradores de Bragança, eles se mudaram para Belém onde tiveram um acompanhamento intensivo do Hemopa.
No dia 30 de janeiro de 2015, Ana Luiza finalmente passou por um transplante para receber a medula da irmã mais velha, Maria Luana, de 14 anos. “Fiquei muito feliz de poder ter tido a chance de ajudar a salvar a vida dela”, conta a jovem.
Casados há 27 anos, Azenati e Amilton Rabelo vão começar 2016 com a certeza de poder realizar um sonho antigo: morar em casa própria. O casal está entre as 58.961 famílias já contempladas pelo programa Cheque Moradia, do governo do Estado. A nova residência já está sendo construída e quando estiver pronta vai abrigar também os três filhos, um deles casado.
Antes do benefício, todos compartilhavam uma casa de altos e baixos feita de madeira, pequena e com pouca estrutura. Agora a família Rabelo pode alimentar a esperança de viver com mais conforto e em melhores condições. “O Cheque Moradia permitiu que a gente realizasse esse sonho. Finalmente vamos poder ter uma casa decente”, comemora Azenati, que trabalha vendendo açaí para ajudar o marido, mestre de obras. 
Com a nova perspectiva que ganhou, a família comemora a chegada de 2016 com o sentimento de gratidão e fé renovada. Superados os momentos de tensão e medo, o que eles desejam agora é vida nova. Por tudo o que viveram e tiveram que enfrentar, seu Luiz, dona Elizangela, Ana Luiza e Maria Luana são unânimes na escolha do primeiro dos votos de Ano Novo estendido a todos: saúde!
AGÊNCIA PARÁ

Nenhum comentário:

Postar um comentário