sábado, 7 de janeiro de 2017

“QUADRO VIVO DA AMAZÔNIA”

Cláudio Andrade é artista plástico e paisagista renomado, nascido no Amazonas; já apresentou suas obras em diversas exposições no Brasil e Exterior.

Seu Ateliê, é como ele mesmo descreve, “um quadro vivo.”
Uma anaconda esculpida com uma técnica patenteada pelo artista, que se projeta pelo muro até a entrada do Ateliê, já anuncia, o que espera o visitante, ao adentrar o mundo mágico de Cláudio Andrade, em Manaus, com duzentas esculturas, além da galeria dos quadros para vendas.
Natureza e lendas amazônicas se misturam ao lago do Pirarucu (Lago do Ontem), uma nascente pluvial, com uma reserva de água com doze metros de profundidade, que abriga uma criação de tambaquis, ligados pela Ponte da Amizade, que tem no início da nascente uma escultura dourada com as mãos do artista elevadas em agradecimento à Deus.
Escolheu a cor dourada para a enorme escultura, pois o ouro simboliza a maior riqueza para ele, a NATUREZA. No ateliê a vida está nos quatro elementos. Terra, água, fogo e ar. Mas também agrega o quinto elemento: CRIAÇÃO, da mente do artista que une a natureza amazônica às lendas do caboclo.
Os olhos azuis do artista, nos lembram um céu azul, que serve de manto a este lugar especial, que recebe o público com acolhimento, evidenciando o Amor do artista pela natureza, pessoas e suas obras.
Cada canto uma surpresa, uma história que nos faz ultrapassar esse portal surreal, de histórias e lendas Amazônicas.
Via Amazônia buscou revelar ao público, um pouco mais desse artista, que brilha no Brasil e muitos países, levando um pouco da Amazônia, para o mundo.
P- O QUE É MAIS IMPORTANTE NA VIDA?
C.A – Nós não precisamos de muito. Tantos querem tanto dinheiro e poder que não conseguem viver. O SER precisa apenas de três coisas: Alimento, Abrigo e Amor.
P – VOCE TEM MEDO DE ALGUMA COISA?
C.A. Não temo ladrões ou a morte. Meu temor é que me falte alimento e abrigo, pois quando criança e adolescente, passei carências, que me fizeram valorizar muito mais, o que consegui.
P- O QUE VOCÊ NÃO GOSTA?
C. A. Desmatamento, guerras, natureza morta, Eu pinto e crio o belo e a vida.
P- E NO SEU PESSOAL, O QUE NÃO GOSTA?
C.A. Que invadam minha intimidade e fico triste quando por exemplo, um visitante vem e arranca uma orquídea.
P- POR QUE ETS NO CENÁRIO?
C.A. Na Amazônia tudo é inusitado. Temos a maior folha do planeta, o maior rio em volume de água, a maior floresta tropical, então por que não teria extraterrestres?
Termina a conversa com um sorriso franco, para dar atenção a outros que chegam ao paradisíaco ateliê. Literalmente um quadro vivo.

 As obras são vendidas na galeria desse lugar especial, com valores confortáveis para todos os bolsos, devido apoiadores internacionais, que possibilitaram que as obras pudessem ser acessíveis, para todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário