sábado, 26 de março de 2016

Pretinhos do Mangue, o animado carnaval coberto de lama!!!

“Em Curuçá, a época da folia de momo é feita literalmente na lama, uma diversão com a fantasia mais barata do mundo. Um carnaval ecologicamente correto e um dos mais animados, na zona do salgado paraense”.


Um Carnaval ecologicamente correto, para toda a família paraense com o abadá mais barato do Brasil. Esses são alguns dos principais fatores que tem atraído todos os anos milhares de foliões para curtir o Carnaval de Curuçá, município do nordeste paraense, distante 130 quilômetros da capital, com cerca de 40 mil habitantes. 

A tradição do Carnaval em Curuçá, no nordeste do Pará, é se sujar: o bloco mais famoso da cidade, o "Pretinhos do Mangue", tem como característica os brincantes com corpos cobertos de lama no lugar das tintas e fantasias que são tradicionais na e´poca de Momo. Este "abadá ecológico", mostrado pela Via Amazônia, atrai milhares de brincantes.

Desde o início do domingo de carnaval é comum ver as pessoas caminhando em grupos na mesma direção. A maioria chegando de outros municípios e seguindo os caminhos da alegria e da esbórnia, saem em busca da "fantasia ecológica". O "abadá" do bloco Pretinhos do Mangue é a fantasia mais disputada do carnaval de Curuçá. Não é preciso pagar nada, basta ter disposição de entrar  e se sujar de lama.
A preparação começa por volta das 15 horas, em frente ao Porto Pretinhos do Mangue, que virou Patrimônio Cultural do Estado do Pará. Lá, os brincantes se concentram e começam a se lambuzar com "tijuco", como é conhecida a lama preta dos mangues. "Não adianta se lambuzar de qualquer jeito. Tem que ter toda uma preparação. Começa pelo rosto e depois vai espalhando pelo resto do corpo até ficar completamente sujo. Só o dente pode ficar branco", ensina Edmilson Campos, que é um dos fundadores do bloco.
Centenas de foliões invadem uma parte do manguezal que fica próximo ao centro da cidade. Eles andam entre as raízes da vegetação. Um ajuda a passar lama no corpo do outro. A regra é que todo mundo fique da mesma cor.
O enredo é preservar o meio ambiente com a alegria para salvar o caranguejo e outras espécies que dependem do mangue para sobreviver. No ano passado, 2015, teve até a "ala dos guarás", ave vermelha típica dos manguezais.

Fundado na terça-feira de carnaval de 1989, quando um grupo de pessoas resolveu tirar o gosto da farra com caranguejo mas não encontrou o petisco no mangue e resolveu voltar de mãos abanando, mas com o corpo inteiro sujo de lama, como forma de “protesto”. A partir de então, nascia o bloco Pretinhos do Mangue. A peculiaridade da cidade de interior e o povo hospitaleiro colaboraram para que o bloco crescesse e ficasse conhecido nacionalmente. Como acontece desde a sua fundação, o bloco sempre leva para as ruas a importância da conscientização ambiental, principalmente com o respeito ao seguro defeso, quando é proibida a captura do caranguejo para a reprodução. Para facilitar a entrada de foliões caracterizados, a parte do mangue com acesso mais fácil, conhecida como terê-terê, onde é possível mergulhar de forma rápida e segura, é identificada aos brincantes. E assim todos caem na Folia, respeitando e protegendo o Meio Ambiente, levantando com muita alegria a bandeira da sustentabilidade e respeito à biodiversidade da Amazônia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário