sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Um celeiro de criatividade regional no Tapajós!!!

"Em seus desenhos e trançados, o artesanato de Alter do Chão expressa a cultura de épocas remotas e estilo de civilizações amazônicas passadas".

Alter-do-Chão, além de ser uma das mais belas praias da região, também dá um show no que diz respeito ao artesanato, cultura esta valorizada por pessoas que visitam o lugar de todos os cantos do Brasil e exterior, tornando-se ponto de referência da região Oeste do Pará.
O artesanato dos boraris, não só oferece infindas opções para quem quer ficar com a cara da região, mas cresce cada vez mais em suas variedades, levando você a encontrar aqui um artesão para cada arte, que com muita imaginação e inspiração nos deixam à mostra acessórios como bolsas, leques, chapéus, cintos, vestidos, chinelos, jóias e as notáveis cestarias que se apresentam nos mais diversos trançados, feitos com talas de arumã e buruti, que em suas formas traduzem os mais brilhantes desenhos geométricos, inspirados em épocas remotas e as incríveis peças confeccionadas com palhas de tucumã, palhas, folhas, cascas de árvores, e envira (cipó), trazendo desenhos primitivos que combinam com o bom gosto de todos.


A arte da pintura e bordado oferece diversas maneiras de enfeitar sua casa e roupas para você se vestir conforme os boraris, sendo usados materiais como sacaria, tecidos finos, cores variadas de tintas, agulhas e linhas para bordar, desenhando e bordando flores e frutas, bichos amazônicos e paisagens atuais e primitivas. O que sua imaginação desejar os artesãos da vila Alter-do-Chão estarão prontos a lhe atender.
Os quadros de madeira esculpidos com pedras retratam as expressões de faces indígenas, com estilo das civilizações primitivas amazônicas que viveram aqui.
Para a confecção de colares, pulseiras, braceletes, brincos, cintos, anéis, as chamadas biojóias da Amazônia, são usadas materiais como o tucumã, conchas, pedras semi-preciosas, madrepérolas, sementes e fibras, que em minutos estão prontas a serem comercializadas.
Materiais como, cascas de côco, ouriço de Castanha-do-Pará e raízes, ganham utilidade com a ajuda de produtos industrializados, como resina e durepoxe que confeccionam porta  jóias e canetas.
E quem ainda não ouviu falar das tradicionais cuias, que em toda a região amazônica existe, sendo usadas para beber água, tomar banho, beber açaí e tacacá? Símbolo da cultura local, as cuias são feitas dos frutos das cuieiras, tingidas com pigmentos naturais e decoradas com padrões e desenhos típicos da região amazônica. A produção e a comercialização das cuias geram opções de trabalho e renda familiar, no que gerou gestão de negócios. Incluindo desenvolvimento de embalagens, controle de qualidade e criação de rotas de comércio em larga escala para o eixo Rio  São Paulo e para o mercado internacional.

Foi através do artesanato que retratou-se o índio borari, representando da antiga tribo dos índios Boraris, feito com pedaços de madeira, palha e envira, um resgate das raízes culturais, costumes, crenças e rituais que interpretaram o dia a dia dos seus antepassados.
O artesanato de Alter-do-Chão te surpreende com suas incríveis novidades, pois aqui, além de você encontrar flautas fabricadas com ossos de peixe, são usadas mascaras com expressivas faces indígenas decorativas diferentes para qualquer canto de sua casa e trabalho, confeccionadas com couro de carneiro, além de arranjos naturais, confeccionadas com folhas nativas secas pinceladas com cera de abelha.
O grande aliado dos artesanatos ainda é o turista, que é atraído pelos acessórios em gera, que oferece aos visitantes um estilo perfeito e indispensável, combinando com o clima e cenário espetacular formado pela encantadora ilha paradisíaca. Os eventos culturais também ajudam a divulgar o artesanato.
A comercialização dos produtos podem ser adquiridos nas barracas da vila de Alter-do-Chão ou lojas de vendas de artesanatos situados na cidade de Santarém.
Para os artesões, reciclar é uma arte, no que aproveitam para confeccionar o artesanato regional, reciclando coisas da natureza, crescendo cada vez mais, buscando ressurgir a cultura borariense, resgatando os valores de seus ancestrais, para apresentar ao Brasil e ao mundo.
Foto: Roberto Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário