sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Esqueceram de mim!!!

* ALERTA

Visando o homem como fator principal do meio ambiente, sua qualidade de vida engloba a preservação de todas as espécies do planeta, pois a destruição de uns pode implicar na destruição de muitos."

Importante lembrar que apenas preservar os animais e as matas, como temos visto nos últimos tempos, por parte da atual política de preservação do Meio Ambiente, seja ela governamental ou não, não prevê em seus planos de atuação, ações de desenvolvimento socioeconômico e educacional para as populações que vivem nas florestas, algumas Ongs que atuam com uma fanática visão preservacionista e proliferam na região Amazônica, vêm a Amazônia criticam o modo de vida caboclo, pois o homem que vive na floresta tem de caçar e utilizar-se do extrativismo, para garantir a sua sobrevivência e não oferece contrapartida educacional para as comunidades ribeirinhas.
Preservar a mata e os animais sem um plano de desenvolvimento para o índio e o caboclo, respeitando sua cultura e aproveitando os seus potenciais, será inócuo e quem somos nós para criticar o secular modo de vida das comunidades Amazônicas? O caboclo e o índio têm todo o direito de caçar, pois esta é sua herança cultural e não ameaça a floresta, ao contrário dos grandes latifundiários que derrubam a mata, (destruindo não só as árvores, mas também o meio ambiente de diversos animais que dependem delas para sobreviver, o homem se inclui), para obter lucros ilícitos.  Faz-se mais do que necessária uma política de desenvolvimento das comunidades da Amazônia, paralela à preservação da Fauna e da Flora.
da Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário