quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Santarém é referência em ecoturismo para o Brasil

Imagem: Divulgação


A pérola do Tapajós, como é conhecido o município de Santarém, tem belas praias, encontro dos rios Amazonas e Tapajós e vem se destacando como destino de referência em ecoturismo na Amazônia. Representada no 5º Salão do Turismo, por todos esses atributos, Santarém também levou o melhor da música paraense para os visitantes que assistiram às apresentações do grupo Vozes Caboclas, no Parque do Anhembi, em São Paulo.

Santarém se destacou no Salão do Turismo por ter seus atrativos naturais expostos em cenários e fotografias na Praça de Descanso da macrorregião Norte, uma das mais movimentadas do evento. A praça chamava a atenção dos visitantes, que podiam se aconchegar nos bancos e tirar fotos em frente à imagem da praia de Alter do Chão.

Escolhida entre dez municípios como referência internacional em turismo pelo Ministério do Turismo (MTur), Santarém está passando por um levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) e, até janeiro de 2011, deve tornar-se destino de referência em ecoturismo da Amazônia, numa parceria com Mtur, e apoio da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), do Instituto Casa Brasil e Cultura (ICBC) e da Secretaria Municipal de Turismo de Santarém (Semtur).

No mês de abril, representantes da Abeta promoveram seminários com empresários, hoteleiros, e agências de receptivos que trabalham com ecoturismo em Santarém e Belterra. "Não temos só a Floresta Nacional do Tapajós (Flona) e Alter do Chão, mas dá para visitar os lagos e conhecer as comunidades no município de Belterra", defendeu o secretário de Turismo de Santarém, Arildo Nogueira.

Ainda este ano, seis representantes do setor público e privado de Santarém devem conhecer outros destinos consolidados em ecoturismo no Brasil como troca de experiência.

Nogueira destaca que, além das trilhas para a serra de Santarém, a Floresta Encantada e a Escola da Floresta, em Alter do Chão, a intenção é trabalhar a comunidade de São Raimundo da Palestina, a 20 km de Santarém, onde há um observatório com 100 metros acima do nível do rio em que se pode apreciar as águas, as árvores e os pássaros, e a comunidade de São Francisco da Cavada, a 35 km de Santarém, que tem como atrativos as quedas d'águas.

"Além do sol e praia, nosso desafio é envolver as localidades próximas como Belterra e Monte Alegre e fazer roteiros integrados e isso vai ser uma das saídas para a comunidade ganhar renda, trabalhando como guias, na criação de peixe e divulgando o rapel".

Nogueira defende que o turismo é uma das saídas para o Brasil e em especial para a Amazônia. Segundo dados da Semtur, de outubro de 2009 a abril de 2010, Santarém recebeu 26 mil turistas de cruzeiros internacionais. Além disso, o turismo de negócios também movimenta a região, com uma média 300 mil habitantes que circulam pela capital e 100 mil pessoas por mês que vão ao município por diversos motivos.

3 comentários:

  1. Aonde que se pratica rapel em Santarém? Com quem posso falar?

    Grata.

    Jéssyca .

    ResponderExcluir
  2. Olá, Jéssica... sobre o seu comentário no Blog, acredito que em Santarém fica um pouco mais complicado o acesso ao rapel, deve ser limitado a propriedades particulares. Mas na região temos opção em Monte Alegre e Alenquer [http://via-amazonia.blogspot.com/2010/07/cachoeiras-em-oriximina-e-alenquer-pa.html]
    Qualquer coisa estamos a disposição!

    ResponderExcluir
  3. Já podemos fazer rapel no ZOOFIT queridas

    ResponderExcluir