quinta-feira, 1 de julho de 2010

Município de Terra Santa


A história e o encanto de uma cidade amazônica cercada por riquezas naturais, com forte projeção na exploração mineral.




A cidade de Terra Santa, localizada na Região Oeste do Pará, a exemplo de outros locais desta região Amazônica, rica de belezas e encantos naturais. Banhada pelo lago do Algodoal, que é chamado assim por causa dos ventos fortes e constantes, que chegam a produzir ondas que em alguns momentos lembram plumas de algodão. A cidade é tranqüila e de natureza bela, com suas lendas e crendices, tudo muito bem preservado. A cidade é cerca por praias e inúmeros Balneários, com destaque para o Igarapé do Paraíso, onde turistas e a própria população se deslocam até lá lazer e diversão, junto com os encantos naturais que o local oferece.


É um município que agrada aos moradores locais e aos turistas, que muitas vezes retornam até o local por terem se apaixonado pela tranqüilidade. Lazer e diversão não faltam!

Terra Santa é uma cidade agradável em se conhecer e um ótimo lugar para passear: ruas organizadas, arborizadas e limpas, uma infra-estrutura preparada para atender a população e quem a visita, com postos de saúde simples mas funcionais. O que chama a atenção são as inúmeras escolas espalhadas pela cidade, o que

revela o interesse pela educação por parte da gestão pública. O cartão postal principal é a Praça Santa Isabel que bem próximo da orla da cidade, um local que preserva boa parte da história do município, pois foi uma das primeiras obras edificadas naquele município antes mesmo de tornar-se Terra Santa.

Pertence à Mesoregião do Baixo amazonas e a Microregião Óbidos com a distância de aproximadamente 890 km da Capital do Estado, com cerca de 20.000 habitantes. Faz fronteiras com o Município de Oriximiná (norte), Faro (sul), Juruti (leste) e Nhamundá-AM (oeste).

A economia da cidade é baseada na pecuária e agricultura, com projeção de exploração mineral de bauxita através da Empresa Multinacional de extração de minérios MRN (Mineração Rio do Norte).

Dentre os muitos pontos turísticos, destacamos a Praia do Cajual que é uma das mais belas, com areia branca e fininha, onde acontece o "Festival do Cajual" um dos mais concorridos eventos do Baixo Amazonas; Existe também a Praia do Sai de Baixo que além de muito bela, possui um clube do mesmo nome, onde se pode dançar e depois dar um mergulho delicioso nas águas do Lago Algodoal; Serraria, Nova Vida e os balneários Paraíso, Urupanã, Posto Aurora, Gemido da Cabrita, entre outros, possuem uma bela


paisagem que deixa qualquer um fascinado e que tira a preocupação e estresse do dia a dia.




O Nome de Terra Santa se originou de "Ponta Santa", que designou a uma ponta de pedras em frente a cidade, onde os índios primitivos se reuniam para a prática de rituais religiosos. Os índios da tribo babuís quando chegaram por essas regiões, se estabeleceram em Faro, pois na época não existia Terra Santa, porém no meio da trajetória, quatro pessoas desse grupo ficaram na Cabeceira do Forno, que eram os índios Buní, Jurará, Marciana e o negro Manoel José, e estes por sua vez montaram uma família e foram os que desbravaram aquela região com o extrativismo vegetal, o cultivo de roças, algodão e a criação de gado bovino. A partir daí surgiram os portugueses com exploração de minérios e petróleo. Mas em 1887 o padre José Nicolino de Souza que era filho da região de Faro, após ter voltado da França como padre foi visitar aquele local e benzeu a Praça Santa Isabel, o Cemitério Santa Isabel e m dou o nome do Local para Terra Santa, pois percebeu que geograficamente os limites daquela região iam muito mais além que a aquela área anteriormente nomeada Ponta Santa. A primeira praça foi feita em formato da bandeira nacional, mas logo mudaram a sua aparecia com a transição de governantes que nem sempre se agradam das construções.

Derrubaram e diferenciaram-na, foi reconstruída em 1968 pelo ex-prefeito de Faro. Quando escavaram para construir a praça, encontraram vestígios de ossos humanos, e como não havia arqueólogos no local, colocaram esses ossos em caixas e sepultados no cemitério, enterrando possíveis respostas sobre a história terrasantense. Talvez estes fossem dos ancestrais, a tribo dos babuís que habitava no alto do do Rio Trombetas e até hoje se encontram vestígios desses nos arquivos municipais, além de muitos objetos e algumas “caretinhas”, provavelmente produzidas pela cultura tapajoara no período da cabanagem, que podem ser encontradas em qualquer lugar da região, bastando apenas escavar.

Em 1903, Frei Victor - OFM, juntamente com a comunidade, construiu uma capela de pedras e que em 1917 foi transformada em ambulatório e hoje atende como casa Paroquial. Somente em 1962, os padres Franciscanos, fixados na paróquia de Terra Santa, construíram a matriz atual de alvenaria. A esta altura, Terra Santa já fora elevada à categoria de Distrito do Município de Faro.











































Nenhum comentário:

Postar um comentário