quinta-feira, 1 de julho de 2010

ANIVERSÁRIO DE SANTARÉM, 349 ANOS


“Santarém do meu coração!

Terra mimosa, de paz e de sonhos de amor.

Santarém do meu coração!

Lindo jardim, vivaz canteiro do Céu todo em flor...” (Trecho do Hino de Santarém)
Com toda essa beleza, por seus prédios históricos, pontos turísticos, uma culinária apreciada por seus habitantes e desejada por quem vem de fora, Santarém encanta a todos.
Em seu aniversário de 349 anos, Santarém faz um convite para aqueles que são amantes de aventuras, para quem gosta de descobrir novos sabores e desvendar novos caminhos. Se você ainda não conhece a Pérola do Tapajós, seja muito bem vindo!

Santarém tem vários encantos começando pela orla da cidade, ponto de encontro, lugar para caminhada, com barzinho, parque, praça, uma quadra de esporte e muito mais. O rio Tapajós que banha a cidade com suas águas verdes se encontra com as águas barrentas do rio Amazonas, é lindo!


Próximo a orla podemos visitar também o mirante, um lugar ideal para estar com a família, de onde se podem observar as belezas do rio Tapajós desfrutar da gastronomia regional e além de tudo isso poder conectar-se ao mundo virtual gratuitamente através do navega Pará, internet wireless oferecida pelo governo do estado do Pará, a fim de levar a informação a todas as pessoas que freqüentam o local. Ainda na orla tem o Trapiche, um lugar Fantástico para se aproveitar, com um restaurante, local para expor artesanatos, fotografias, que também é utilizado para a realização dos grandes eventos culturais de nossa orla.


A região de Santarém é rica em praias de água doce, a imensidão do rio se confunde com o mar, com sua areia branquinha, fina e águas límpidas, simplesmente um paraíso, como as praias de Ponta de Pedras, Pindobal, e a nossa charmosa Alter do chão que em suas maravilhosas praias podemos desfrutar da verdadeira beleza amazônica, tanto é especial que até foi considerada entre as dez melhores praias do Brasil, a melhor praia, por um famoso jornal inglês, The Guardian, e também muito antes disso já era carinhosamente conhecida como o caribe da Amazônia. Lá podemos encontrar também diversos artesanatos exclusivos da região, guloseimas como os famosos chocolates feitos com frutas típicas, a castanha do Pará e muito mais.

A comida da região tem um gostinho particular, com um tempero forte, o segredo está no muito cominho e coentro. Há uma diversidade de peixes, Frutas e sucos variados diferentes das regiões mais abaixo do mapa. Pitanga, cupuaçu, taperebá, muruci, são alguns sabores exóticos da região. Outro atrativo culinário é o tacacá, Esta típica comida deriva de um tipo de sopa indígena denominada mani poi, é servida em cuias: coloca-se primeiramente um pouco de tucupi e o caldo da pimenta-de-cheiro com tucupi. Acrescenta-se a goma e arranjam-se os ramos do jambú de modo bem distribuído. Colocam-se os camarões e acrescenta-se mais tucupi até quase completar a cuia. Tem também a maniçoba, outro prato de origem indígena e conhecido como feijoada paraense. Seu preparo é importantíssimo, uma vez que parte dos ingredientes é venenoso. É feito com as folhas da maniva/mandioca moídas e cozidas, por aproximadamente uma semana (para que se retire da planta o acido cianídrico, que é venenoso), acrescida de carne de porco, carne bovina e outros ingredientes defumados e salgados.

| Santarém é cultura |

Importantes manifestações culturais Amazônicas também ocorrem em Santarém, como a festa do Sairé e o festival Borari, que tem como palco para seu acontecimento a praia de alter do chão, a festa do Sairé ou Çairé, antigamente era um baile indígena (puracê), cujos festeiros, revelam desde o primeiro século da colonização a influência das missões católicas. Era uma espécie de dança de roda conduzida por um “arco”, que era o motivo indígena desse préstito, sendo portanto uma cerimônia religiosa e profana, onde entravam nela a reza e a dança, nos dias atuais ainda conserva seu caráter religioso, com a procissão do Çairé e a festa profana que oferece um grande espetáculo às pessoas que vão prestigiar o embate entre os botos Tucuxi e o cor de Rosa onde reúne elementos cênicos, musicais e da cultura local que é divulgada de maneira criativa, resgatando costumes e hábitos da vida cabocla e indígena.

O festival do Borari também é um vivenciar criativo onde manifestações culturais e o modo de vida indígena ancestral são resgatadas de maneira lúdica e espontânea. No final do mês de novembro é realizado o círio da Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, cuja festa se estende até o dia 08 de dezembro, acontecendo além da parte religiosa, o Arraial com atrações culturais e a Caminhada de Fé com Maria, saindo da Vila de Mojuí dos Campos, percorrendo 37 km até a Catedral de Santarém. Muitos são os santarenos Ilustres no cenário da Arte e da cultura, citaremos aqui alguns, muitos deles obtém reconhecimento no exterior, são eles; no campo da literatura:

Felisberto Jaguar Sussuarana, Paulo Rodrigues dos Santos, João Bento Veiga dos Santos, Wimar Dias da Fonseca e Efrein Galvão. Na música: Wilson Dias da Fonseca e Sebastião Tapajós. Nas Artes Plásticas: João Fona, Elias do Rosário e Laurimar Leal.

________________________________
por Carlos Cruz )




Nenhum comentário:

Postar um comentário