segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Alter do Chão, do Tapajós e do Sairé


Localizada na margem esquerda do rio Tapajós, Alter do Chão fica aproximadamente a 33 km de Santarém com fácil acesso por rodovia totalmente pavimentada, durante o ano inteiro, Alter do Chão é uma vila de pescadores com pouco mais de 6.000 habitantes. Mas, na época em que o nível das águas do Tapajós baixam, ela ganha todas as atenções. O nível da água chega a baixar dez metros, o que proporciona o surgimento de muitas praias. As condições são convidativas: chove pouco, a temperatura média é de 25ºC, e a umidade, 88%.

Longe dos períodos de pico, setembro, periodo em que acontece o Sairé; disputa ruidosa, colorida e cultural entre os Botos Tucuxi e Cor de Rosa, que representa o encanto e magia das caboclas nativas do Tapajós; “sempre o Boto é culpado”. Em dezembro no Réveillon, o p\cato e tranquilo vilarejo recebe por essa época dez vezes o número de moradores. No rio Tapajós é possível encontrar praias totalmente desertas e andar quilômetros no anonimato, apreciando as belezas naturais. Um paraíso na terra,
O serviço de passeio em geral é feito por agências receptivas para que o turista visite as praias do entorno durante a manhã, um ótima opção de agência de serviços eco turístico é a Cuicuera Ecotour.



Da cabeceira do Macaco, no lago Verde, é possível parar a lancha e percorrer uma trilha de 1h20 minutos até outra praia do Tapajós, Ponta de Pedras. É em Ponta de Pedras que acontece um evento típico das praias amazônicas: a Piracaia. Se o turista estiver acompanhado, tanto melhor. Os moradores preparam peixe assado na brasa (em geral, Curimatá ou tucunaré) e frutas, enquanto meninas dançam em volta da fogueira ao som de música local. É um típico luau amazônico. 

Texto; da Redação/ Fotos; Cristiano Santa Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário