sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Faro

Uma cidade pacata e
agradável para viver


Da redação  / Roberto Santos


O município de Faro pode ser visto por olhos experientes e harmonizados com a natureza como mais um dos muitos paraísos ecológicos no oeste paraense. Uma das muitas maravilhas desse município ocorre em setembro, período em que a vazante do Rio Nhamundá permite a este povo privilegiado ver as primeiras pontas de praia. 
Como se não bastasse tanta beleza e tranquilidade, o município desponta hoje como um dos principais pontos de turismo ecológico no Oeste do Pará, seja pela sua tranquilidade (condição buscada pela maioria dos turistas), ou ainda pelos pontos de pesca ao tucunaré, também pela cerâmica indígena da região, embora um pouco rara nos dias atuais e com certeza bastante presente nas coleções particulares de alguns moradores. 
A cidade parece agraciada pela mãe natureza, com belas praias em toda sua orla, as famosas muiraquitãs aqui são encontradas nas ruas da cidade logo após uma chuva torrencial, e, por isso, não estranhe ao ver o povo agachado procurando por um belo amuleto esverdeado, seja em forma de contas ou de forma natural.
Vale a pena viajar tantos quilômetros do Rio Amazonas. Quando ao fim podemos encontrar uma parte do paraíso, abençoado pelo Padroeiro São João Batista.

Vale a pena conhecer um dos mais belos cartões postais da cidade, que é a Igreja Matriz de São João Batista. Uma construção religiosa que faz parte do patrimônio da cidade de Faro e, com certeza, da história de todos os faroenses. Todos os que nasceram em Faro, ou que por ali passaram, têm a Matriz ligada à sua história em algum momento. A revista Via Amazônia recomenda a visita ao município de Faro,  abençoado pela Mãe Natureza e pela Paz que vem dos Céus.


Nova Maracanã, Distrito de Faro, onde o homem vive de bem com a natureza

A Ilha da Fantasia sai das telas de cinema e dos sonhos mais profundos para se iluminar de realidade. Essa á sensação permanente que fica enraizada na mente de quem visita o Distrito de Nova Maracanã, que fica localizada entre os municípios de Faro e Terra Santa.
À primeira vista, a pequena Vila de pouco mais de quatro mil habitantes, onde seus habitantes tiram seu sustento da extração nativa da Castanha do Pará e da Pesca, encanta pela beleza natural. Segundo alguns um verdadeiro paraíso, como que saído das páginas imaginárias de um conto de fadas. 
Ocorre que como todo paraíso também existe pontos nem sempre positivos, como a alta taxa de energia elétrica cobrada pela Rede Celpa, apesar do Linhão, que leva energia para Manaus e outras capitais atravessar em poucos metros distantes do povoado. Ironicamente, o local onde em tempos não muito distantes funcionou a Uzina de Força, agora se encontra em ruínas, lembrando que a energia da época era mais rudimentar, em contrapartida, nada custava aos moradores de Nova Maracanã, que nos dias atuais, fazem verdadeiros malabarismos na economia doméstica para poder pagar a taxa exorbitante cobrada pela Rede Celpa. Mas existem as compensações e a cidade que tem como padroeira Nossa Senhora das Graças também tem seus momentos de beleza e glamour em meio à harmonia da natureza.

Faro se prepara para ser a nova capital da bauxita em 2022


Apesar de ainda estar longe o tempo estimado para a Operação de extração do minério, a prefeita de Faro, Marinete Machado, revelou seus planos para imediata ação em solo do município, iniciando a oficialização do processo de demarcação dos limites geográficos pelo Instituto de Terras do Pará, ITERPA.
Destaca-se que apenas dois municípios da região, (Terra Santa e Oriximiná), são beneficiários dos royalties repassados pela MRN por conta de sua produção mineral. A prefeita ressaltou que quer evitar o que ocorreu com o município de Terra Santa, que por conta da falta de demarcação legal de seus limites territoriais, não recebia a parte dos royalties que lhe eram destinados, ficando depositados em juízo.
Para o diretor-presidente da Mineração Rio do Norte, Silvano Andrade, o momento é um marco na relação da mineradora com os municípios. “É uma honra para a Mineração Rio do Norte fazer parte desse momento histórico. Pela primeira vez na história vamos unir a experiência de três organizações sociais renomadas que, juntas, e com apoio da MRN e dos Poderes Executivo e Legislativo, vão unir forças na construção de uma sociedade economicamente mais saudável e sustentável”, disse em seu discurso. A prefeita de Faro, Marinete Machado, comemorou o Pacto como uma mudança esperada que trará benefícios há tanto esperados ao município.
O Programa terá base em quatro eixos. O primeiro será a Gestão Pública, que apoiará a gestão das prefeituras e secretarias no planejamento de suas políticas e serviços públicos, na capacitação dos servidores, na busca e gestão de mais recursos para implementar projetos que possam beneficiar toda a população. O segundo será o Capital Social, que apoiará as comunidades e lideranças nas suas organizações, ajudando a população a exercer seus direitos e deveres. O terceiro o Desenvolvimento Econômico, cujo foco será a melhoria da economia por meio das cadeias produtivas desenvolvidas (como a castanha, copaíba, pesca, movelaria, madeira, pecuária, agricultura, turismo) e potenciais do município, considerando a conservação de áreas protegidas e a preservação de culturas tradicionais. E o quarto e último terá base na Gestão Ambiental, com apoio às secretarias de meio ambiente visando garantir a conservação, as licenças de novas atividades nos municípios e o Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Nenhum comentário:

Postar um comentário